Por que sempre tomar notas de literatura?

Quando eu falo sobre notas de literatura, a primeira coisa que ocorre a muitas pessoas é que fazê-las dá muito trabalho, de modo que nem sempre ou raramente valem a pena. O que eu gostaria de perguntar a pessoas que pensam assim é por que elas lêem obras de não-ficção e, em especial, trabalhos acadêmicos, se pensam que não vale a pena tomar notas sobre essas leituras. Afinal, não tomar notas significa reconhecer que não há problema em nos esquecermos de uns 90% do que lemos, que não há problema se não tivermos entendido direito o que o autor está dizendo nas passagens que nos parecem mais relevantes e, sobretudo, que não há ideia alguma motivada por essa leitura que você queira processar, explorar e integrar ao seu próprio conhecimento, à sua própria visão de mundo. Nesse caso, eu suponho que a leitura seja apenas uma distração. Nada muito diferente do que as pessoas procuram ao abrir o Instagram ou algo que o valha. De minha parte, eu adoto a seguinte regra: se não vale uma nota, também não vale o tempo que eu vou gastar lendo. (Eu raramente abro o meu Instagram.)

Professora de filosofia

Professora de filosofia