Comecei minha modesta carreira filosófica estudando Habermas, para quem o aspecto pragmático da linguagem era essencial para a resolução de problemas filosóficos. Mas confesso que foi apenas recentemente, após ter sido apresentada a Hart, que compreendi a impossibilidade de compreendemos a dimensão normativa da existência humana sem a filosofia da linguagem. Antes de entender a importância do que ouvi sendo atribuído a Habermas em meus primeiros anos de filosofia, tive que tentar resolver problemas filosóficos de outra forma… e não conseguir.

Professora de filosofia